Domingo, 21 de outubro de 2018
» Busca interna
» Busca no Google
» Órgãos federais
» Governo federal
» Senado
» Câmara
» STF
» TSE
» STJ
» TCU
» Estados
» Alagoas
» Bahia
» Ceará
» Maranhão
» Paraíba
» Pernambuco
» Piauí
» Rio Grande do Norte
» Sergipe
» Políticos
Escolha o Partido
» Notícias via email
» Jornais online
» Últimas Notícias
ESPECIAL DE FIM SEMANA. Convênio entre Vale e Petrobras de R$ 4 bilhões vai gerar 3 mil empregos iniciais em Sergipe na produção de potássio. Governador Marcelo Déda comemorou anúncio feito na quinta-feira (19) pela presidnte Dilma, que vai ao estado na segunda-feira assinar o convênio
21/04/2012 - 13:38h - Gil Maranhão e GAJ
Gil Maranhão
Agência Politica Real

(Brasília-DF, 21/04/2012) O governador de Sergipe, Marcelo Déda, ainda comemora a notícia veiculada ontem (quinta-feira, 19), com exclusividade pela AGÊNCIA POLÍTICA REAL.

Antes da solenidade de posse do novo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), o sergipano Ayres de Britto, ocorrida no final da tarde - ele foi surpreendido pela presidente Dilma, que lhe comunicou sua visita ao estado na próxima segunda-feira (23), para assinar o convênio de R$ 4 bilhões entre a Vale e a Petrobras, pelo Projeto Carnalita.

A visita da comita do Planalto - presidente Dilma deverá ir acompanhada de alguns ministros - levou o governador a antecipar a sua volta para o estado, uma vez que além da assinatura do convênio, pela manhã, na cidade de Rosário do Catete (a 37 quilômetros da capital), a presidente também marcou para Aracaju, na parte da tarde, reunião com governadores do Nordeste para discutir os efeitos da estiagem prolongada na região.

PROJETO CARNALITA

Estratégico para o desenvolvimenrto socioeconômico de Sergipe, o Projeto Carnalita consiste na extração do mminério carnalita que será utilizado na produção de potássio, indispensável na composição de fertilizantes.

Com a assinatura do contrato entre a Vale (empresa produtora) e a Petrobras (proprietária da jazida que será arrendada para a exploração da carnalita), os investimentos podem chegar a US$ 4 bilhões. E vai gerar, inicialmente, 3 mil empregos, e depois mais mil, quando a fábricada estiver instalada e plenamente funcionando - como informou à esta Agência de Notícia, a assessoria do governador.

PERSISTÊNCIA DE DÉDA

Embora o convênio venha ser firmado com 15 meses do governo Dilma Rousseff, o Projeto Carnalita começou a ser discutido pelo governador Marcelo Déda ainda no governo do presidente Lula.

A assessoria do governador informou a nossa Reportagem que Déda não mediu esforços ao longo dos últimos cinco anos e meio para que a Vale e a Petrobras chegassem a um acordo entendendo a importância da exploração do minério para a economia do Estado e para impulsionar a cadeia produtiva de fertilizantes do país.

"Ele sempre trabalhou junto ao Governo Federal para pôr fim ao imbróglio entre as duas empresas, sempre conduzindo reuniões entre ambas as empresas" - revelou um assessor.

Nesses cinco anos foram várias reuniões - em Aracaju, Brasília e no Rio - com técnicos, pesquisadores e dirigentes das duas empresas, além de encontros com a equipe Ministério de Minas e Energia, e audiência com Lula, e depois, Dilma, para tratar do assunto.

"O Governo de Sergipe foi persistente no Projeto Carnalita, porque tem a clareza do que isso representa para o estado e para o Brasil", disse por meio de sua assessoria de Impresa.

DECISÃO DE DILMA

Ontem, na solenidade do seu conterrâneo, Ayres de Britto, no STF, ao ser informado oficialmente pela presidente Dilma da visita ao estado para a assinatura do convênio Vale-Petrobrás, o próprio Déda repetiu um frase de Dilma: "Este não é mais um projeto de Sergipe, é de interesse do Brasil".

Segundo o Planalto, o Brasil - que é um pais de grande produção agrícola - gasta absurdo na importação de fertizantes, e a exploração da jazida de Carnelita da Petrobras além de ser benéfico para a população de Sergipe será bom para saúde da balança comercial do País.

Nesta sexta-feira (20), nas redes socias, o governador admitiu que nos últimos meses, a presidenta Dilma Rousseff teve um papel decisivo para que o negócio fosse concretizado, conduzindo, pessoalmente, reuniões entre os dois presidentes das companhias, revelando a prioridade deste projeto.

De acordo com Marcelo Déda, a presidenta entendeu que este projeto era bom para Sergipe, mas era indispensável para o Brasil porque aumentará a produção de potássio e aumentará a segurança do agronegócio brasileiro, reduzindo a dependência do fertilizante importado, além de gerar oportunidades de novos negócios na cadeia produtiva de fertilizantes e consequente geração de novos empregos.

(Por Gil Maranhão, para Agência Política Real, com edição de Genésio Jr.)
Mais Notícias
16/06 | 22:47h - redação com informações de ass
Bancada do Nordeste defende votos em papel impresso; Câmara vota vários temas da reforma política

(Brasília-DF, 16/06/2015) A bancada de deputados federais do Nordeste votou em massa nas propostas de reforma política que foram à pauta do plenário na noite desta terça-feir...
15/04 | 20:20h - Gil Maranhão
BANCADA DO NORDESTE - Flávio Dino defende manutenção da abertura de crédito nos estados e taxação de grandes fortunas para investir no social

(Brasília-DF, 15/04/2015) Durante o Encontro de Governadores do Nordeste, realizado nesta quarta-feira, 15, em Brasília-DF, o governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) defen...
05/12 | 15:51h - Gil Maranhão e GAJ
Bancada do Nordeste. Ary Lanzarin descarta incorporação do BNB ao outro banco e revela plano estratégico para 2013. Presidente do Banco do Nordeste e diretores da instituição discorreram, na reunião da Bancada do Nordeste na Câmara, sobres as ações nos estados e perspectivas de investimentos

(Brasília-DF, 05/11/2012) O presidente do Banco do Nordeste, Ary Lanzarin, descartou, nesta quarta-feira (5), na reunião da Bancada do Nordeste na Câmara dos Deputados, a inco...
30/05 | 19:47h - Humberto Azevedo e GAJ
Bancada do Nordeste. Heleno Silva pede ao ministro Bezerra apoio aos projetos hídricos já existentes. Deputado pelo PRB de Sergipe pediu, também, que os agricultores possam procurar não só o BNB, mas, sim, também, o Banco do Brasil, na tomada de empréstimos que estão sendo concedidos por conta das medidas contra à seca

(Brasília-DF, 30/05/2012) O deputado Heleno Silva (PRB-SE) pediu hoje, 30, durante o encontro que a Bancada do Nordeste teve com o ministro da Integração Nacional, Fernando Be...
30/05 | 18:45h - Gil Maranhão e GAJ
Bancada do Nordeste. Ministro se irrita com cobranças de deputados nordestinos, e pede apoio da bancada para viabilizar reivindicações junto ao governo. Para a maioria dos parlamentares nordestinos ações emergenciais anunciadas pelo governo não resolvem problemas da seca na região

(Brasília-DF, 30/05/2012) O ministro da Integração Nacional, Fernando Bezerra Coelho, chegou a mostrar momento de irritação com inúmeras cobranças feitas pelos parlamentares n...
21/04 | 13:38h - Gil Maranhão e GAJ
ESPECIAL DE FIM SEMANA. Convênio entre Vale e Petrobras de R$ 4 bilhões vai gerar 3 mil empregos iniciais em Sergipe na produção de potássio. Governador Marcelo Déda comemorou anúncio feito na quinta-feira (19) pela presidnte Dilma, que vai ao estado na segunda-feira assinar o convênio

Gil Maranhão Agência Politica Real (Brasília-DF, 21/04/2012) O governador de Sergipe, Marcelo Déda, ainda comemora a notícia veiculada ontem (quinta-feira, 19...
» Áudio
ID:
Senha:

Apóiam essa idéia:
Bancada do Nordeste 2005 - Política Real - Todos os direitos reservados
Contato: redacao@bancadadonordeste.com.br