Segunda-feira, 22 de outubro de 2018
» Busca interna
» Busca no Google
» Órgãos federais
» Governo federal
» Senado
» Câmara
» STF
» TSE
» STJ
» TCU
» Estados
» Alagoas
» Bahia
» Ceará
» Maranhão
» Paraíba
» Pernambuco
» Piauí
» Rio Grande do Norte
» Sergipe
» Políticos
Escolha o Partido
» Notícias via email
» Jornais online
» Últimas Notícias
Bancada do Nordeste. Afonso Florence defende uma equação agrícola e pecuária integrada, adaptada ao semiárido
10/07/2013 - 17:03h - Maurício Nogueira e GAJ
( Brasília-DF, 10/07/2013) O último inscrito a fazer o uso da palavra na reunião da Bancada do Nordeste, foi o deputado Afonso Florence (PT-BA), ex-ministro do Ministério de Desenvolvimento Agrícola (MDA). Ele comentou que é ponto pacífico a necessidade de convivência com a seca no semiárido. Os técnicos tem desenvolvido isso. E também citou duas grandes dinâmicas do semiárido.

“Não vou falar do Matopiba, Maranhao, Tocantins, Piaui e Bahia, o cerrado nordestino que tem que ter um olhar especial porque as condições climáticas, o geral alí não é a mesma coisa do cerrado mais ao sul brasileiro. São condições ambientais, digamos assim, mais frágeis, do ponto de vista de pluviosidade. Mas esse é outro tema. São dois grandes focos e esse aspecto que o deputado Pellegrino aludiu é importante. O controle de pragas, expansão da produção no bioma cerrado. No que nós podemos falar de centro-norte brasileiro, requer um monitoramento qualitativamente distinto, em relação ao que fizemos tradicionalmente. Um é aquele que o deputado Ariosto se referiu, de que nós temos condições de ter uma disponibilidade hídrica maior com uma política de irrigação e uma política de desenvolvimento de tecnologia. E o outro ambiente, que foi relatado pelos meus companheiros que falaram entre eles o Amauri, que é a chamada convivência com o semiárido.”

Florence conta que, recentemente, houve uma apresentação, no grupo de altos estudos, dos esforços Embrapa para desenvolver um café mais resistente à estiagem. A caatinga é um bioma com diversas especificidades e uma característica básica da baixa pluviosidade de solos rasos, pedregosos com muita salinidade.
“Mas nós temos muitas nativas que precisam estar no leque de arranjos, seja na coleta gens, do que for. Quando eu tive a oportunidade de estar no MDA, nós iniciamos contatos na alta administração dos ministérios e com a Embrapa também, mas acho que isso não se transformou nessa reflexão. A pecuária é atividade econômica prioritária do sertanejo e da sertaneja. Hoje, já atingindo alta produtividade leiteira ou de caprinos, ou de engorda de ovinos. Mas a soja, invariavelmente, é a proteína utilizada e tem que haver uma logística nacional para o abastecimento de soja. O animal é alimentado de volumoso energético e proteína, o volumoso normalmente é o capim, a palma, apesar de a palma ser um volumoso mais qualificado, quase um concentrado. A proteína é soja ou outra leguminosa. O energético é o milho, o sorgo”, explicou.

O ex-ministro do MDA também acentuou não que não se tem no Nordeste culturas tradicionais adaptadas, por mais resistente que seja o milho e sorgo o ciclo vegetativo dele é muito curto para eles resistirem bem.
“Temos muitas outras leguminosas do semiárido, temos a mandioca, que com os estudos da Embrapa da parte aérea já são uma possibilidade, esses estudos, de transformar em um instrumento objetivo para através da Diretoria de Transferência de Tecnologia, chegar a um aproveitamento da mandioca, que tem uma demanda hídrica também maior que as nativas”, disse.

Florence disse que há uma política nacional de frutíferas e madeireiras. Ele defende uma equação agrícola e pecuária integrada, adaptada às características do semiárido e o desenvolvimento de outras pesquisas.
“Sem advogar necessariamente a política de transgênicos, mas ela é um fato, uma realidade um gen de uma nativa, certamente, será mais proveitoso, se for possível, obviamente, do que gen de um milho ou de um feijão que não é adaptado para poder desenvolver”, finalizou.

(por Maurício Nogueira, especial para a Política Real, com edição de Genésio Jr)
Mais Notícias
03/06 | 18:50h - Gil Maranhão
BANCADA DO NORDESTE - Dívidas ativas, Securitização e Pesa serão debatidos com BNB, Fazenda e Integração

(Brasília-DF, 03/05/2015) Renegociações de dívidas rurais. Este é o tema central da do “Café da Manhã”, seguindo de debate, que Bancada Parlamento do Nordeste no Congresso Na...
22/04 | 23:13h - redação com edição de Genésio
Bancada do Nordeste foi contra a terceirização na atividade-fim; Veja como votou os deputados do Nordeste

(Brasília-DF, 22/04/2015) Na noite desta quarta-feira,22, o Plenário da Câmara dos Deputados deu continuidade à votação do Marco Legal da Terceirização(PL 4330/04) que vem t...
26/03 | 14:51h - Gil Maranhão
BANCADA DO NORDESTE – Augusto Coutinho elogia pioneirismo de Júlio, descarta ‘solução de continuidade’ e lembra Zezéu Ribeiro

(Brasília-DF, 26/02/2015) Durante a primeira reunião da Bancada do Nordeste na Câmara, realizada nesta quinta-feira, 26, o deputado federal Augusto Coutinho (SD-PE) defendeu o...
12/05 | 17:03h - Humberto Azevedo
Bancada do Nordeste - Coordenador da Bancada do Nordeste concorda que falta planejamento à região

(Brasília-DF, 09/04/2014) O coordenador da Bancada do Nordeste, deputado Pedro Eugênio (PT-PE), concordou com a declaração do presidente do Banco de Desenvolvimento Econômico ...
09/04 | 14:12h - Humberto Azevedo
Bancada do Nordeste - Presidente do BNDES relaciona os diversos investimentos feitos no Nordeste

(Brasília-DF, 09/04/2014) O presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, enumerou nesta quarta-feira, 9, diversos investimento...
04/04 | 09:01h - Humberto Azevedo
Bancada do Nordeste - Desenvolvimento dos Estados nordestinos depende do engajamento dos políticos

(Brasília-DF, 26/03/2014) A implantação de políticas públicas para auxiliar o desenvolvimento do Nordeste precisa de uma atuação mais unitária e conjunta dos parlamentares e g...
» Áudio
ID:
Senha:

Apóiam essa idéia:
Bancada do Nordeste 2005 - Política Real - Todos os direitos reservados
Contato: redacao@bancadadonordeste.com.br